Atalhos de Campo


6.10.14

terra queimada





A terra queimada é arada de novo, vem um tractor de manhã e regressa à noite, move-se em elipse e desenterra o silêncio; andei sobre os torrões e sobre o ar escondido, a terra a mostrar o avesso contrafeita, o que não foi queimado talvez tenha fugido, (ou ficou cortado ao meio), e o homem segue o seu trilho e aprofunda o corte, impiedoso e decisivo, enquanto a alfaia geme nas articulações. De longe até parece domada e aceitar - em breve teremos tremocilha a despontar, para que a primavera olhe de amarelo, de vertical e de espantar - do lugar do morto a versatilidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário