Atalhos de Campo


2.10.14

Fim

                           na morte de Mário Cesariny


corpos visíveis,
nobilíssimos,
inseparável luz que move as coisas,
ter um inferno à mão seja qual for a língua,
toda a água é inocente e escoa-se entre as unhas,
à porta do forno crematório alguém lhe toca,
vai lá, vai que te acolham, brilha, brilha muito,
brilha tanto quanto não possas, brilha acima,
faz brilhar a mão que melhor redemoinha,
a mão mais inundada,
e ele entra sem esperança nenhuma,
só na última linha quando o coração rebenta,
reconhece quem o olha 

Herberto Helder/ poesia completa      

2 comentários:

  1. Then a dog went up to God,
    he swam through the sky,
    and when he got there he pleaded
    and God said, Take it! Take it!
    But keep it sacred.
    and the dog came down and gave it to many men
    saying:
    Hide the fire!
    Hide the fire!
    They did not listen forever
    for they burned Joan
    and many, and many,
    burned at the stake,
    peeling their skin off,
    boiling their good red blood,
    their hearts like eggs,
    and the great house of God was wrong
    to give the fire to the dog,
    and the great house of God will never forget it,
    and each day, asks the sea,
    its mother,
    to forgive,
    to forgive.

    Anne Sexton, The Complete Poems

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O homem inventou o fogo, Deus inventou o perdão, os poetas inventaram o mar,
      ninguém inventou o cão.
      Vou procurar Anne Sexton
      Obrigada Xilre, pelo primeiro comentário a este blogue. Boa noite

      Eliminar