Atalhos de Campo


13.10.14

A Balada e a Valsa



A balada diz, fiz um poema com esta música
A valsa diz, não havia uma aragem, e a música espalhou-se por todo o navio negro
A balada diz, faz sentido, é um poema de amor, esta música é como fazer amor
A valsa diz, como uma imposição do céu, como uma ordem de Deus de que se ignorava o teor
A balada diz, é tão maravilhoso, escuta...acho que é a coisa mais sensual que eu já ouvi 
A valsa diz, ela chorava por se lembrar daquele homem de Cholen, o seu amante, e de súbito não tivera a certeza de não o ter amado
A balada diz, escuta é como sexo, é tão belo
A valsa diz, com um amor que ela não vira, porque se perdera na história
A balada diz, é como a minha filha, ou qualquer coisa viva
A valsa diz, como a água na areia
A balada diz, eu adoro, a música sente-se, sente-a
A valsa diz, e só agora o reencontrava nesse instante da música lançada ao mar.
A balada diz, é melhor que um poema, a música vence-nos.

Anne Sexton/ Balada Opus 23 Nº1 Chopin
Marguerite Duras/ Valsa Opus 64 Nº2 Chopin
Texto:O Amante/ Marguerite Duras (1984)
Filme:O Amante/Jean-Jacques Annaud(1992)

2 comentários:

  1. (...)
    My nerves are turned on. I hear them like
    musical instruments. Where there was silence
    the drums, the strings are incurably playing. You did this.
    Pure genius at work. Darling, the composer has stepped
    into fire.

    Anne Sexton, Love Poems, 1969

    Uma ligação pelo nível nervo vago com a música, portanto, a dela.

    Boa noite.

    ResponderEliminar
  2. Visceral, logo possível.
    Boa noite, se possível

    ResponderEliminar