Atalhos de Campo


7.8.14

Pelos Cantos

O campo era o seu refúgio. A paisagem não era , para ele, um passatempo, com rouxinóis e luar, mas um espaço produtivo. Desde há anos que introduzira, nas suas terras, o ananás, a batata-doce e o chá.(...)

Leo Tolstoi não conhecia os Açores, mas o que aconteceu aos Cantos ilustra o que viria a escrever em Ana Karenina; as famílias infelizes, ao contrário das felizes, percorrem um caminho próprio.  Tudo se precipitou em 1868, quando o conflito entre José do Canto e o filho mais velho rebentou.(...)

Os Cantos/ Maria Filomena Mónica


Demoro-me mais no de José do Canto, dum verde cerrado e magnético. Árvores que infundem respeito, com furnas e cavernas nos troncos, árvores cenográficas, cheias de força e amplidão ou transparentes e frágeis como vidro- pedaço dos trópicos transportado por mágica para Ponta Delgada, e que eu, se tivesse tempo, me deitaria a explorar, a modo de floresta virgem.(...)

As casas são sempre as mesmas casas, os homens os mesmos homens de toda a parte. Os jardins não.

Raul Brandão/ As Ilhas Desconhecidas
(1924)