Atalhos de Campo


17.7.14

Um Príncipe no deserto interior

Talvez os seus milhões de leitores ignorem, mas o lugar mais provável para a criação de "O Principezinho" é uma cama de hospital em Nova Iorque, onde Saint-Exupéry se tratava dos acidentes que havia sofrido. Um amigo tinha-lhe oferecido uma caixa de aguarelas. Na indefinição daquele exílio americano, preso à solidão do longo internamento, ele teria esboçado a parábola do viajante menino apaixonado pela sua rosa. Saint-Exupéry conhecia demasiado bem o desenraizamento espiritual do mundo moderno apostado mais em consumir do que em consumar, o fosso instalado entre técnica e humanidade, a acumulação de conhecimentos e escassez de sabedoria. O seu projeto é levar-nos até ao deserto exterior para que nos demos conta da desertificação interior que se apodera de tudo e assim reacendermos em nós a sede e o desejo.

José Tolentino Mendonça/ Expresso 17/8/2013 (Revista)