Atalhos de Campo


3.7.14

Herança

Tomé é um menino de doze anos nascido numa família pobre, em Portugal do início do século XX. Muito inteligente, vai à escola para aprender  a ler, escrever e fazer contas, ajuda o pai que é carpinteiro, e é o seu orgulho, entre todos os onze filhos. Tomé apaixona-se por um livrinho que ensina agricultura, emprestado pelo tio Salomão, seu mestre. O rapaz fica contagiado pelos conselhos do professor(que tem uma horta em volta de casa), e pela leitura repetida do livro consegue fazer a sua própria horta.
O livro infantil, escrito por João da Motta Prego, engenheiro agrónomo, prossegue com a evolução da horta, com conselhos sobre as melhores épocas para plantar ou semear, sobre regas, adubações, métodos de preparar a terra para fazer os canteiros, e os  caminhos entre eles, classificação de plantas, dicas sobre as melhores variedades, proporções entre áreas e quantidades, tudo romanceado, até que a horta do Tomé se torna um sucesso, e o Tomé ajuda os pais a criar os irmãos. Não sabemos onde era a horta do Tomé, mas o livro, que tem uma dedicatória de 1943, é usado por nós, aqui na quinta, como uma espécie de Cartilha Maternal das hortas, e com uma espreitadela ao Borda D'Água e aos Rudimentos de Agricultura, de Pereira Coutinho (cujo preço foram 250 reis), fizemos dos sonhos simples uma horta de sonho. Se Minec, a criança inteligente da Árvore dos Tamancos, cresceu e estudou para poder contar como era a vida dos camponeses da Lombardia no século XIX, também Tomé o poderia ter feito um século mais tarde em Portugal, um Tomé para crer.