Atalhos de Campo


16.6.14

Mudar de vida

JUNHO


   Mudei de vida. Talvez obrigado pelas circunstâncias, mas o que é um facto é que mudei de vida.(...)
   Não nos enganemos. Este mundo arrefecerá, uma estrela entre as estrelas e, por outro lado, uma das mais pequenas do universo, quer dizer, uma gota brilhante no veludo azul. Um dia, este mundo arrefecerá e escorregará na treva cega do infinito - não como uma bola de neve, não como uma nuvem morta -,como uma noz vazia.Creio que devemos ter isto em conta e amar o mundo constantemente, amá-lo tão conscientemente, que no final cada um de nós possa dizer:
vivi.
Enrique Vila-Matas/Diário Volúvel