Atalhos de Campo


16.5.14

Uma orquestra de cor e de perfume


  Primeiro chegaram os cravos-do-poeta, nas suas múltiplas inflorescências em cor e perfume, fazendo manchas variadas e surpreendentes, plantas que tinham sido semeadas no ano passado, e que não tinham dado flor, aguentaram o inverno, a geada, a chuva e o vento, para na primavera se tornarem no primeiro registo de alegria do jardim; e depois, as íris azuis, os cachos de glicinia, lilases e perfumados, as tulipas e as frésias, que já desapareceram, dando lugar à entrada das rosas , desde  branco a quase negro, algumas plantadas este ano e que não estão ainda no seu auge, os cravos e as cravinas, a verbena que sobreviveu ao inverno e cada vez está mais exuberante, o rosmaninho e a alfazema, para perfumar o jardim e as gavetas, as gazânias de corolas variegadas e que só abrem durante o dia, os amores-perfeitos em canteiros circulares rodeando as cameleiras, o ibisco e o jasmim; a lucia-lima e a lantana, de folhas perfumadas, os cravos-da-índia e as zínias, que fazem belas jarras, os cosmos brancos, rosa, e grená, que este ano nasceram espontaneamente de flores que libertaram as suas sementes, tão difíceis no ano passado, e que agora apareceram nalguns casos até entre a relva e foram transplantadas, os agapantos brancos, mais precoces na floração, os gerânios que tombam as suas cabeças coloridas de vasos e canteiros altos, os gladíolos de cores variadas misturados entre tudo isto, ou juntos em maciços, e que ainda estão atrasados, as anémonas e as dálias, cujos bolbos foram postos há pouco mais de um mês e vão crescendo, os cactos lentos, a chorina precoce e rápida ganhando terreno nas floreiras e no chão e as bocas-de-lobo, já adaptadas que se renovam sem preocupações. Ainda as hortências e as ervilhas-de-cheiro, uma conquista por estas paragens de grandes amplitudes térmicas e secura, vão progredindo sob apertada vigilância e já com belas flores, a espreitar o azul e o rosa.
   Um jardim maravilhoso, onde trabalho, às vezes, seis horas por dia, uma orquestra pronta a desafinar à menor desatenção, duas horas de rega diária nos dias mais quentes, sujeita a pragas e doenças, a morrer por razões desconhecidas, e a brilhar na sua plenitude, apenas alguns dias por ano, em que a Natureza é a Música e eu uma maestrina principiante,a aprender todos os dias.