Atalhos de Campo


23.5.14

Os dois caminhos



E nós somos como frutos. Estamos suspensos lá no alto, em ramos singularmente emaranhados, fustigados por muitos ventos. O que possuímos é a nossa maturidade, doçura e beleza. Mas a força que produz tudo isso corre em um único tronco a partir de uma raiz que se tornou vasta e se estende por mundos em todos nós. E, se quisermos dar testemunho da sua força, cada um de nós tem de a utilizar no sentido mais solitário. Quanto mais solitário, mais solene, pungente e poderosa é a sua comunalidade.

Rainer Maria Rilke/Notas sobre a melodia das coisas