Atalhos de Campo


24.5.14

O dia conquistado

(...)Depois, libertado tanto do deus do momento como do da eternidade, embora sem aquela ânsia de tirar a força aos dois, seguiu-se um período de um terceiro poder, de um poder meramente do aqui, declaradamente mundano, e este - não me interessa o quê, helenos, o vosso culto ao kairos, a vossa felicidade celestial, cristãos e muçulmanos - apostou em algo que estava a meio dos dois, pela conquista de cada uma das minhas coisas de aqui, porque se conquistara o tempo único da vida.(...)
Peter Handke, Ensaio sobre o dia conquistado