Atalhos de Campo


17.5.14

O belo e o terrível

Pois o belo não é mais do que o começo do terrível,
que ainda mal suportamos, e deslumbra-nos assim porque,
imperturbado, desdenha aniquilar-nos.
Todo o anjo é terrível.

Elegias de Duíno
Rainer Maria Rilke
Vasco Graça Moura