Atalhos de Campo


7.5.14

Flores para Pina


        Vi-o avançar na minha direcção e fiquei aterrada. Pelo palco já caminhavam devagar vários casais,e ele vinha devagar até que parou mesmo à minha frente.Nessa altura eu já percebera que as minhas preces não tinham resultado e tentava ignorar, de olhos no chão, a evidência.Dobrou o braço esquerdo em ângulo recto, e esperou que eu me levantasse.Entre o seu gesto e eu preferir morrer,decorreram anos, entre a firmeza de um segundo e apocalíptico gesto, que não deixava margem para dúvidas, decorreram séculos.Levantei-me a tremer e dei-lhe o braço.Levou-me para os bastidores, com uma elegância principesca.
    E foi assim que posso dizer que já participei numa coreografia da Pina Bausch. Ele era um belo bailarino russo e aproveitei para lhe dizer que não sabia dançar, num inglês que tremia tanto como as minhas pernas.Tranquilizou-me; o meu papel estava concluído.
    Voltei para o meu lugar sozinha, e sentei-me na realidade.